Música

O country que não é mais rock

Shania Twain e Mutt Lange – O fim de uma parceria que deu certo

O primeiro disco de Shania Twain, de 1993, que tem como título o nome da própria cantora, possui apenas uma composição de Shania em parceria com o já falecido compositor Kent Robbins. Para época, o disco vendeu inexpressivas cem mil cópias, o que fazia muitos críticos acreditarem que aquele seria o início do fim da carreira da, então, jovem cantora oriunda de Ontário, Canadá. Após percorrer diversas rádios e gravadoras com uma fita demo na mão, a cantora canadense Shania Twain foi vista no clipe da música “What Made You Say That” pelo produtor musical sul-africano Robert John “Mutt” Lange. Depois de muitos telefonemas nos quais partilhavam composições, Mutt passou a ser responsável pela produção musical dos discos de Shania. Os dois casaram-se no mesmo ano de 1993 e começou então uma brilhante parceria que viria a render ótimos frutos.

Lançado em 7 de fevereiro de 1995, “The Woman in Me”, segundo disco da cantora, foi um grande sucesso vendendo impressionantes 12 milhões de cópias. Sucesso não apenas pelas maravilhosas canções compostas pelo casal, que exaltavam a força feminina, mas pelo fato de Mutt Lange ter criado uma nova maneira de fazer country music: misturando-a com pop e rock and roll. Foi a combinação perfeita para projetar a cantora canadense à um nível artístico global. Robert John “Mutt” Lange tem seu trabalho mundialmente conhecido por produzir artistas como AC/DC, Nickelback, Def Leppard, Outlaws, Foreigner, The Cars, Bryan Adams, Billy Ocean, Savoy Brown, The Corrs, Maroon 5 e Lady Gaga. Pode-se dizer que uma das marcas nas produções musicais de Mutt, presentes nos discos de Shania e em todos artistas que produz, são os back vocals e linhas de guitarra.

O terceiro disco de Shania Twain, gravado em 1998 com o título “Come On Over”, foi outro megassucesso. Este disco entrou para o Guiness Book como um dos cinco álbuns mais vendidos no lançamento. Trazendo arranjos mais arrojados e clássicos como “You’re Still the One” (indicada para quatro Grammys em 1999, vencendo dois nas categorias “Melhor Canção Country” e “Melhor Performance Vocal Feminino Country), “Man! I Feel Like a Woman!” e “From This Moment On”, este disco consagrou de vez Shania Twain como uma grande referência dentro da música country.

Ainda em 1998, depois de ser estigmatizada pela crítica de Nashville como mero produto de estúdio nas mãos de Mutt Lange e de não saber cantar ao vivo, a cantora Canadense organizou a turnê que ficaria conhecida como umas das maiores bilheterias nos anos seguintes, com um faturamento em torno de 80 milhões de dólares. Este fato se deu pela grande produção pirotécnica envolvida, sistema de som de última geração e na formação da banda que acompanhava a cantora: The Fabulous Falls, composta por Allison Cornnel, Brent Barcus, Randall Waller, Andy Cichon, Corry Churko, Hardy Hemphill, JD Blair, Marc Muller e Roddy Chiong.

Em 12 de agosto de 2001, Shania deu à luz um menino: Eja D’Angelo Edwards Lange e deu uma breve parada na carreira para curtir sua maternidade. Após viajar o mundo compondo e recebendo influência musicais em diversos países, Shania volta, em 2002 com seu quarto disco intitulado “Up!” que ganhou arranjos com versões pop (disco vermelho com arranjos mais elétricos, valorizando guitarras e teclados), country (disco verde com arranjos que valorizavam instrumentos acústicos como violões , bandolins e pedal steel) e world (disco azul com arranjos que valorizavam diversos instrumentos pouco conhecidos no ocidente como a cítara, por exemplo). Este disco vendeu 20 milhões de cópias, sendo que 11 milhões só nos Estados Unidos. Através de “Up!”, Shania Twain se tornou a única mulher da história da música a ter três discos de diamante consecutivos certificados pela Recording Industry Association of America – RIAA.

Em 2008, após quase 15 anos de união, Shania e Mutt se separam em razão de uma suposta relação extraconjugal de Mutt com a ex-secretária de Shania, Marie-Anne Thiébaud. A separação conturbada fez com que Shania adquirisse uma disfonia, fazendo com que a cantora se afastasse dos palcos e parasse de cantar por um longo período.

Como num enredo shakespeariano, em 2010 Shania casa-se em Porto Rico com Frederic Thiebaud, ex-marido de sua ex-secretária, a mesma com quem Mutt havia tido um suposto caso. Após escrever no tempo em que esteve afastada dos palcos sua autobiografia, a cantora conseguiu sua “vingança” de Mutt simplesmente fazendo aquilo que o produtor mais detesta: expondo-o. Por meses a fio, Mutt teve sua vida perseguida por tabloides do mundo inteiro, capturando e exibindo suas fotos e perseguindo-o nas ruas de La Tour-de-Peilz, cidade suíça em que mora.

Shania volta em 2011 ao cenário musical com um single de sua autoria: “Today Is Your Day”, produzida pelo produtor e arranjador canadense David Foster. Depois de uma bem-sucedida temporada no The Colosseum at Caesars Palace, em Las Vegas, com o show Shania: Still the One”, a cantora lança em 29 de setembro de 2017 o álbum “Now”, com produção de Ron Aniello, Jake Gosling, Jacquire King e Matthew Koma.

Após Robert John Mutt Lange ter trabalhado a produção dos discos de Shania Twain por quase 15 anos, é possível perceber a diferença abissal entre as produções antigas e as atuais. No final das contas, a separação profissional foi boa para ambos. De um lado, Shania voltou a ter vida social, expondo mais sua carreira e vida pessoal na internet através das redes sociais. De outro, Mutt voltou a trabalhar de forma ermitã produzindo bandas de pop, rock e a compor para outros artistas às margens do Lake Geneva ou nas montanhas de Wanaka, na Nova Zelândia.

Mostrar mais
Botão Voltar ao topo